terça-feira, 27 de dezembro de 2011

Uma lata de melancolia

Encontrei em alguma edição não muito recente da Gloss, uma entrevista onde Kirsten Dunst comentava sobre o período que passou por uma análise psiquiátrica após interpretar Justine, protagonista do enaltecido Melancholia. Nas palavras da atriz, “É natural sentir-se triste alguma vez na vida. Ser feliz o tempo todo é que não é normal”. Digno.

Há milhões de motivos para sentir-se deprimido, incluindo aqueles que giram em torno de nosso umbigo. No entanto, buscamos aparentar uma felicidade instável e inabalável, mesmo conscientes de sua inexistência. Como figurantes de um comercial natalino da Coca-cola.

Embora a depressão seja considerada a doença do século 21 e o bullying um crime sujeito a punição legal, a maioria das pessoas enxerga tais tópicos com superficialidade, considerando-os caprichos de pessoas insatisfeitas sem razão aparente.

Ao ver desta rés blogueira, insatisfação tornou-se uma característica do comportamento humano desde o início da sociedade capitalista. Supervalorizar seu sofrimento e desprezar o alheio é tão comum quanto camuflar os momentos em que nos sentimos deprimidos, ou evitá-los, enxergando-os como exemplos de fracasso pessoal.

Não faço apologia à depressão em massa, nem vejo chorar as pitangas eternamente como a solução para todos os problemas. No entanto, poucos não são os exemplos de músicos, escritores e pintores que a partir da síntese de suas tristezas criaram manifestações artísticas memoráveis. Meus melhores textos, por exemplo, são conseqüentes de fúria, decepção ou melancolia.

Sou super a favor de sorrisos, gentilezas, bom humor, unicórnios coloridos alegres e saltitantes e... Ficar triste de vez em quando!

Porque em uma realidade inteiramente feliz, não haveria motivos para “abrir a felicidade”. Como alguém viveria em um mundo assim?

13 comentários:

  1. Eu já tive depressão. Fiz análise um tempo, abandonei tratamento e remédios. Sou dessas! É um risco, pq até fazendo tratamento a depressão pode voltar, imagine eu que abandonei tudo depois de um ano. (nunca falei isso no blog, quem sabe um dia). Concordo com você, os meus melhores textos são aqueles que eu estava deprimida, melancolica e revoltada.

    ResponderExcluir
  2. Os meus textos também ficam melhores quando coloco algum tipo de sentimento neles. Quando feliz, empolgado, alegre ou até normal não consigo textos tão profundos quanto. Enfim.

    Parabéns pelo post
    http://diaahs.blogspot.com

    ResponderExcluir
  3. Parabéns pelo blog. Os Post que eu li são ótimos. Estou te seguindo. Se tiver um tempinho, passa no meu blog: http://amostragratisrecebidas-vane.blogspot.com/2011/12/promocao-dos-10-seguidores.html

    ResponderExcluir
  4. Ficar triste faz parte da vida. Sinceramente, acho que é impossível ser feliz o tempo todo. E fora que a gente fica realmente mais inspirado quando melancólicos, haha :P

    Menina Encanada

    ResponderExcluir
  5. Isso é bem verdade.
    As pessoas que se dizem SEMPRE felizes, estão mais vazias do que os apresentadores da Mtv.
    Vi uma entrevista da Adele, e ela disse que as musicas que estão no Top, foram escritas após o termino de um namoro. Onde ela estava triste muuuuuuuuuuito triste e a única foram dE "amenizar" essa tristeza era escrevendo.

    Gosti do post.
    Um Beiiijo

    ResponderExcluir
  6. Acredite, por fora todo mundo é feliz, mas por dentro ninguém quer se sentir triste, mesmo que se sinta. É a infeliz realidade.
    Tristeza, na minha humilde opinião, é pra ser arremessada pra longe, mas nem por isso deve ser ignorada. De felicidade ninguém vive. Somos seres humanos, afinal.

    Adorei o blog!
    http://iampurplepineapple.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  7. nossa que titulo/ banner mais lindo o seu, como todos que ja teve aqui *-*

    http://portifoliodasletras.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  8. Parabéns pelo texto. Continue...

    Um 2012 pra você cheio de paz, e muitas realizações. Um gigante abraço, Ana.

    Ah, e amanhã tem post de ano novo lá no blog, ta? Um beijo!

    ResponderExcluir
  9. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  10. Gosto de como você descreve as verdades...
    Feliz 2012!

    ResponderExcluir
  11. Essas pessoas felizes e pulantes que soltam cores por onde passam, me deixam, no mínimo, intrigada. Além do mais, sou mestra em mudar de humor de uma hora pra outra, e ainda reforço minha fossa com uma daquelas músicas melosas que a gente tanto gosta de ouvir quando tá pra baixo sabe? Já tinha lido esse teu texto antes e outro dia quando estava andando nos busões da vida, vi uma das mil propagandas da Coca-cola, aquela velha frase "viva o lado coca-cola da vida", e o que seria desse lado se o outro não existisse? Magina que louco todo mundo vivendo o lado coca-cola da vida para sempre, 24 horas pro dia, sem parar pra respirar? Estranho demais para mim. Adorei, adorei esse texto, muuito bom, Bea, e ah, feliz 2012, com pequenas doses de melancolia.

    ResponderExcluir
  12. "abra a felicidade" é um bom slogan, e provavelmente veio de um excelente trabalho publicitário. Mas independente disso, eu acho que a sociedade prende um pouco as pessoas - elas tem que ficar "vestindo personagens" e acabam insatisfeitas com suas vidas. De qualquer forma, as vezes eu mesmo acho tudo isso muito superficial. Esse lance de decepção.
    A tristeza se tornou algo tão comum, que acabou superficial. Então eu acho que ela deve ser transformada em raiva. Por que a raiva move um desejo, enquanto a tristeza pode acabar em apatia.
    Foi por esse ponto de vista que eu cheguei a conclusão de que a raiva é o sentimento mais foda do mundo. É. rs

    obs: feliz 2012

    ResponderExcluir
  13. http://paraneura.blogspot.com/ meu blog, amei o seu espero q viste o meu! abraços estou a te seguir

    ResponderExcluir