quinta-feira, 14 de junho de 2012

Uma crônica sobre Poodles

Especificamente sobre meu poodle.

Como tudo aqui em casa, a Hami apareceu em nossa vida por intervenção de minha irmã. Boa primogênita que sou, cabe-me o papel de ver resignadamente os desejos de minha irmã sendo acatados, desejos estes que guardei intimamente e nunca tive coragem de mostrar, ou que me foram negados quando os manifestei.

Pra ser bem sincera, se minha opinião nesse antro familiar representasse alguma coisa, escolheria como bichinho de estimação um gato. Gordo, preguiçosos e o principal: Silencioso. Recolheria um dos gatinhos agregados ao quintal de meu avô e viveria feliz ao lado de sua quieta e interesseira companhia.

Mas não escolheram um gatinho. Escolheram um poodle.

Uma criatura extremamente inteligente, mais do que sua ingênua aparência de algodão doce pode revelar. Manipuladora, utiliza seu autêntico olhar de piedade pra roubar um lugar no sofá ou conseguir chocolate. Lembrando que chocolate no organismo canino produz o mesmo efeito de estimulantes no organismo humano, o que explica o comportamento hiperativo e psicótico de minha cachorrinha. Não há nada mais assustador e perigoso do que um poodle viciado em chocolate.

Ademais, poodles são ciumentos. Possessivos, querem ser o centro do universo, ficando extremamente irritados quando não alcançam tal objetivo. E o que um poodle faz quando fica irritado? Late. Seu protesto é feito por várias horas de latidos agudos, causando dor de cabeça no infeliz ouvinte e inveja na mais potente soprano. Se você tem amor por seus tímpanos, evite ao máximo irritar um poodle.

Porém, seria injustiça minha desconsiderar o lado doce desse cãozinho. Mesmo soterrado por grossas camadas de ciúmes, hiperatividade e pela potência de seu latido, o coração de um poodle é enorme: cabe a família inteira! Cabem os amigos da família, cabe todo mundo, não superando em tamanho somente sua lealdade para com seu dono.

Lealdade e carinho que me fazem relevar os chinelos mastigados, os ouvidos doloridos e o comportamento psicótico, no momento em que percebo patinhas caminhando por minhas costas, ou quando desanimada, encontro o consolo de sua cabecinha encostada no meu colo, pedindo afago.

Nessas horas de fragilidade canina, ninguém desconfia de seu caráter dominador.

Com vocês, a figura mais influente da família

14 comentários:

  1. Que fofura! Nunca gostei muito de poodles (a da minha avó é extremamente mimada). Mas não há como negar que são amorosos sim. Embora os latidos...

    Bom, gostei demais do seu cantinho. Espero ler mais textos tão bons quanto este :)

    ResponderExcluir
  2. Sim, sim. Quero Engenharia Elétrica na UFRN.
    Eu estudo em uma escola técnica, meu ensino médio tem quatro anos, ao invés de três. Estou no terceiro ano e ainda tenho o quarto pra cursar, mas se eu passar na UFRN esse ano vou abandonar o IF porque o quarto ano é só matéria técnica e como eu faço 18 anos esse ano, posso tirar o certificado de conclusão pelo ENEM.
    É muita correria mesmo. Achava que era exagero dos pré-universitários, mas agora vejo que não é. É muito puxado mesmo e na minha escola, como o objetivo é formar técnicos, não temos uma preparação para o vestibular. Daí, tenho que fazer cursinho e conciliar os dois.

    E você, já sabe o que vai fazer?

    ResponderExcluir
  3. Só se o SEU poodle for hiperativo, porque o da minha avó é morto. Tão morto que nem late. Passa o dia deitado e quando alguém chega ela, ela na verdade, nem se levanta pra receber quem chegou. Gosto muito dela não, mas ela é o xodó da minha avó. Vai entender

    A propósito, a cachorra que eu to falando é a mesma que a "Alquimista de Sonhos" que fez o primeiro comentário falou. RS Ela é minha prima.

    ResponderExcluir
  4. IUHDSIAUHSDIUAH Não gosto muito de poodles, sei lá, o da minha vizinha não para de latir um segundo, Deus! IUSHDIUHDIHA Mas se tem uma coisa que eles têm o dom, é de serem fofinhos *o* Né? Saudades de vir aqui!

    Beijos.

    ResponderExcluir
  5. Justamente por esse motivos, esses mesmo que você me mostrou agora, que eu não gosto de cães pequenos...
    Não que eu goste de cães brabos, mas gosto de cães com porte grande. Tanto para passeio, quando para diversão em casa mesmo...

    ResponderExcluir
  6. Poodles a maioria, são antipáticos, mas eu adoro cachorros então..

    Depois de séculos sem postar eu voltei, e mudei o look e comecei a postar meu primeiro conto de terror.
    Acesse lá e confira!
    @littlepistols
    http://portifoliodasletras.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  7. Acho que é a primeira vez que visito seu blog,ele é lindo e você escreve muito bem.
    Sei como é ver o irmão mais novo tendo todas as vontades atendidas,é assim lá em casa também,mas não me importo muito com isso.
    Também prefiro gatos,são menos bagunceiros,ocupam menos espaço(apesar de ter uns cinco gatos lá em casa).Uma fofa a poodle da foto.

    petalasdeliberdade.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  8. uma graça o seu poodle. >.<
    pior que eu também escolheria um gato como animal de estimação.mas,como em casa sempre teve tanto cachorro quanto gato,nem precisei pedir.

    ah,parece até que o poodle é um membro da família [se já não for]
    Emilie Escreve

    ResponderExcluir
  9. Vixe, eu escolheria um cachorro mesmo, mais brincalhões, aparentam ser mais ~sentimentais~, etc. Deve ser costume também, nunca tive gatos, só cachorros estranhos. Demais.
    O atual só dorme. Chego, saio e ele está em algum lugar da casa, muito empenhado em sua missão de fazer absolutamente nada. Os latidos são tristes mesmo, pior que o meu só começa justamente quando vou dormir. Acho lindo.
    Minha tia tem uma cadela, mistura de poodle com alguma coisa, é linda, um amor, educada demais, brincalhona, nos entende que é uma beleza.
    Se um dia eu for morar sozinha, acho que quero ter um desses na minha vida, não sou a pessoa mais cuidadosa do universo, mas a gente se vira nessas nossas, né? Espero que sim.
    Beijo, Bea. *.*

    ResponderExcluir
  10. Boa tarde, já conferiu as promoções do blog O Leitor?
    Ainda não?
    Não sabe o que está perdendo.

    O TOP COMENTARISTA do mês de junho pode lhe dar o livro "As Flores do Mal" e ainda tem a promoção "Dia dos Namorados Literário".
    E ainda tem mais duas promoções vindo por aí.
    Vai perder?

    Espero você lá ;)

    Pamela
    resenhista do blog O Leitor
    http://oleitor2.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  11. Ount *--* esse post me fez lembrar da minha infancia, sempre tive Poodles, agora tenho 3 chow-chow.
    Gostei do post *--*
    www.galleriafeminina.blogspot.com

    ResponderExcluir
  12. Menina, posso ser sincera? Acho poodle um cachorro meio chato. Pelo menos todos os que eu conheço eu prefiro manter distância. Mas ao mesmo tempo, acho tão fofinho! HAHAHA. De qualquer modo, estou feliz com meu vira-lata-rottweiler e com meu labrador, rs.

    http://meninaencanada.blogspot.com

    ResponderExcluir
  13. oown que lindo Poodle ^^
    Amei a crônica, curta mas é divertida.
    Tb tenho cachorrinhos e sei como eles são tão importantes que não nos imaginamos sem eles.
    Amo minhas 3 cadelinhas.
    Muito legal o post, adorei
    (e não apenas os poodles são viciados em chocolate *--*)
    http://blogdamazzei.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  14. Morri de rir: "Uma criatura extremamente inteligente, mais do que sua ingênua aparência de algodão doce pode revelar. Manipuladora, utiliza seu autêntico olhar de piedade pra roubar um lugar no sofá ou conseguir chocolate. (...) Não há nada mais assustador e perigoso do que um poodle viciado em chocolate." é bem isso mesmo! eu tenho uma poodle á 7 anos, e não mudou nada, sempre conseguindo o que quer com aqueles olhinhos brilhantes *.* ashudihaisudhisuadasd.

    Beijinhos :*
    to com um blog novo, exclusivamente literário *.* adoraria ter a sua visitinha por lá n_n http://www.linguadoslivros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir