domingo, 26 de agosto de 2012

Mallu, a louca

Dois mil e doze é um ano de renovação. Não só de minha rotina, minha pessoa, mas também de minha playlist musical e das pessoas que atualmente fazem parte dela. Quando apareceu Velha & Louca no começo do ano, acompanhada de uma metamorfose em sua música e sua imagem, Mallu Magalhães tornou-se uma dessas pessoas, além de item indispensável no meu mp4. Como esse bendito blog carrega o fardo de ser o único lugar onde me sinto a vontade para ser sincera, seria trair este preceito não admitir que, quando pela 1ª vez vi Mallu tocando violão no Caldeirão do Hulk, em 2008, não fui muito com a cara do som da que minha mãe chamou de “garota muito maluquinha”. Baixei o CD, ouvi o Tchubaruba e me encantei com o antigo site decorado com flash de desenhos de sua autoria, mas parou ali.
Habituada, na época, a um pop-rock meloso e chiclete, não possuindo capacidade para apreciar algo menos ~comercial~, seu primeiro CD não causou o suficiente para não parar na lixeira em pouco menos de dois dias. O que restou foram Tchubaruba e J1, hits que resistiram a minha falta de maturidade musical.
Graças ao bom Deus, segui a ordem natural das coisas e mudei. Mallu também. Em Pitanga, ela faz um trabalho tão legal, obrigando a mim e outros ex pré-adolescentes alienados a colocar o rabinho entre as pernas ao rodopiar dançante pela sala ao som de Highly Sensitive. Comecei a ouvir com outra percepção as músicas de seu primeiro CD, e embora estas não me envolvam tanto quanto as do álbum atual, seria hipocrisia não admitir que algumas são realmente boas.Além do mais, Mallu é f-o-f-a. Quando comecei a prestar mais atenção em seu desempenho como cantora e suas composições, também passei a reparar em sua personalidade e seu comportamento. A identificação que tive com sua forma de pensar me fez querer um horário em sua agenda para fazer as unhas e conversar sobre as situações rotineiras da vida, da louca vida, com ela e suas ideias peculiares. A sinceridade com que expõe em suas composições sua visão diferente da realidade, também é evidente em suas entrevistas, e se alguns a julgam forçada, eu simplesmente a vejo como alguém que não se dispõe a dissimular um comportamento à procura de aceitação.
Seu retorno deixou-me com o pressentimento de que muita coisa boa está por vir dessa tão jovem música. Com suas músicas delicadas, seu jeito louco e seus clipes incrivelmente bem elaborados, vêm sambando na cara daqueles que, no início, menosprezaram seu potencial. Incluindo a minha cara.

11 comentários:

  1. Putz, logo quando ela surgiu, detestei. Não as músicas em si, mas sim a fofice forçada, sabe? Muito artificial. Ela melhorou bastante em ambos os quesitos (ainda bem!)...

    ResponderExcluir
  2. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  3. Alguem que fala a minha lingua ,rss
    sinto o mesmo em relacao a Mallu o album pitanga nao sai do meu mp3
    e com certeza o som melhorou muito :D
    fico feliz pois sabia que ela tinha potencial mas o primeiro cd foi uma decepcao !
    Da uma olhada nas cantoras : Tiê,Clarice Falcão e Lenka
    seguem uma linha similar a Mallu .
    Minha musica favorita do pitanga é Cena (Alias é a msk do meu blog ;D)

    ResponderExcluir
  4. Acho que ela é bem exemplo de alhuém com quem eu mantenho uma relação de amor e ódio, mas também nunca tive interesse em saber mais sobre, ou ouvir mais músicas, nunca me foi muito atrativo, convidativo, ou seja lá o quê. Mas se tem uma música que ela canta e eu amo, é "Janta", com o Marcelo. Só amor aquilo, gente. <3

    ResponderExcluir
  5. Nao consigo gostar dela, nem das letras nem da música em si, mas nada contra

    http://maresdetristeza.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  6. Sinceramente, detesto essa guria. Quanto a maturidade musical, desculpa, mas não é escutando Mallu que você vai conseguir.

    Experimente escutar Zé Ramalho, Zeca Baleiro, Jorge Vercilo, Marisa Monte, Leoni...

    Enfim, cada um com seu cada um né.

    Um beijo. Misunderstood.

    ResponderExcluir
  7. Bia, conheci a Mallu assim que a passou a despontar nos comerciais da MTV (cê lembra?). Eram clipezinhos. Mas,confesso que ela não chamou a minha atenção. Garota que fazia suas próprias composições, e em inglês? Demais,não? Na época nem liguei.Enfim, tomei um susto quando a vi assim,madura. Com cara de menina. Só que com mais idade. E com as música igualmente mais amadurecidas. Adorei a mudança. Infelizmente, a curiosidade não suficiente para pegar as mp3s e enfiar no meu mp4.Farei isso,um dia.Preciso. O Camelo estava lá faz pouco tempo...
    Emilie Escreve~

    ResponderExcluir
  8. Olá , passei pela net encontrei o seu blog e o achei muito bom, li algumas coisas folhe-ei algumas postagens, gostei do que li e desde já quero dar-lhe os parabéns, e espero que continue se esforçando para sempre fazer o seu melhor, quando encontro bons blogs sempre fico mais um pouco meu nome é: António Batalha. Como sou um homem de Deus deixo-lhe a minha bênção. E que haja muita felicidade e saude em sua vida e em toda a sua casa.
    PS. Se desejar seguir o meu blog,Peregrino E Servo, fique á vontade, eu vou retribuir.

    ResponderExcluir
  9. Temos quase a mesma opinião. Eu adorei a nova Mallu *-*

    ResponderExcluir
  10. Essa foto é protegida por direitos autorais NO CASO ELA É MINHA, peço que deem os devidos créditos ou a retirem do ar imediatamente para que eu não precise tomar medidas cabíveis.
    OBRIGADO!

    ResponderExcluir