sexta-feira, 9 de setembro de 2011

Para onde vão os cadernos perdidos?

Existe algo em minha vida, que foge de todas as explicações cabíveis. A teoria mais aceitável é a de outra dimensão, um mundo de não-matéria ou um buraco cósmico, cujo seres que o habitam se alimentam de coisas perdidas, formulas ou fatos científicos/históricos que são esquecidos no meio das provas (embora devidamente decorados por semanas), meias ou qualquer outro acessório de importância secundária mas devidamente necessário em dados momentos como pentes, elásticos de cabelo, tic-tacs, tiaras e... Cadernos. Há um duende que se alimenta de meus cadernos, e mais dia ou menos dia, irei apanhá-lo no ato.

Os leitores desse post com certeza estão se perguntando de que tipo de distúrbio psicótico ou que tipo de narcótico eu usei para sofrer esse tipo de alucinação, no entanto, continuo afirmando com absoluta certeza: Há duendes se alimentando de meus cadernos!

Não foram poucos. Foras três! Três belíssimos exemplares de esculacho adolescente. Meus caderninhos de letras desalinhadas, que nunca aderiram a um estilo padronizado, como um texto que começou com Comic Sans, prosseguiu em uma mistura de Tahoma e Times New Roman e terminou com Verdana. Simplesmente sumiram, se escafederam, viraram fumaça. Nem isso, na verdade.

Os procurei por toda casa, vasculhei todas as gavetas, em cima do armário, debaixo da cama, em todas as portas e esconderijos possíveis. Enfrentei a humilhação de procurar os achados e perdidos de todas as escolas que estudei, e MAIS DE UM VEZ. Fiquei brother das faxineiras. Nada. Comecei a olhar duas vezes dentro da mochila, embaixo da carteira para certificar de que estava com todo o material escolar em meus braços e na última semana... Outro caderno sumiu. Repeti o roteiro descrito acima e vexada, com a cabeça baixa e mais vermelha que a sola de um Christian Louboutin, voltei para casa de mãos abanando.


Oh, céus! E agora, quem poderá me defender?

7 comentários:

  1. Será que é mal de blogueira?! Eu te compreendo totalmente, me identifiquei com seu texto. Só que não somem só cadernos, os meus duendes devem ser míopes, kkk.
    Adorei seu blog, viu? Ri muito com esse texto :D

    ResponderExcluir
  2. ALELUIA AOS CÉUS! FINALMENTE ENCONTREI ALGUÉM QUE ENTENDE O MEU PROBLEMA! Sempre meus cadernos somem, sempre! Desde que eu me conheço por gente (não é tão pouco tempo) meus cadernos somem! Tipo DO NADA! Só pode ser um duende sequestrador! :(
    Aliás, esse duende podia muito bem ser tipo a fada dos dentes: todas vez que sequestrar um caderno, deixar uma moeda em troca. Desse jeito, eu ia caprichar nas minhas folhas (assim meus cadernos acabariam mais rápido). Seria bem mais divertido *o* kkk
    Amei seu blog! Sucesso! Estou seguindo *-*

    http://iampurplepineapple.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  3. Putz ,vivo perdendo as coisas tbm
    algumas quando eu menos espero voltam outras nunca mais vi !
    Vou comecar a pensar na teoria dos duendes!kkk

    ResponderExcluir
  4. HUAHAUHAUHAUHAU ri muito com o post! Um tempo atrás também havia perdido os meus cadernos, e fui encontrá-los onde eu jamais imaginaria... hoje ficam todos muito bem guardados no meu armário '-'

    ResponderExcluir
  5. Estava navegando pela net e tive a felicidade de encontrar o seu blog!!!

    Convido você a dar uma passadinha no meu: http://docesonhodemenina.blogspot.com/

    Ah, como amei seu blog, tenho um selinho para você: http://1.bp.blogspot.com/-68Bb05pFul4/Te1BfsqvBeI/AAAAAAAAATM/JPCRr0Mj7R0/s1600/dsm-selinho.jpg

    Mil Sweetkisses!!!

    ResponderExcluir
  6. JAKLJALKSJDLKASJDKLASJD SOFRI.
    Ai, então há um bocado desses seres serelepes aqui também, há pouco tempo fumaram minha bandana e eu notei a ausência de alguns doces, embora eu ache que isso seja obra de algumas formigas que dão as caras pelas minhas coisas. Meus cadernos, meu deus, eu não consigo me livrar deles, simplesmente tenho pena, escrevi tanto por todo o ano e tudo vai parar no lixo? É isso mesmo, Brasil? Não!
    Não jogo, não queimo, não rasgo, dou uma de guardiã dos papéis e salvo quantos eu puder, fico contente comigo mesma depois disso.
    Aliás, vi que você tá lendo Lolita! Meu Deus, eu cacei esse livro pelos alfarrábios da minha cidade e não o encontrei, quer dizer, não a edição que eu tanto desejo (aquela que só tem as perninhas dela, na capa toda), mas deixe minhas frustrações de lado e me diga se está gostando do livro? Beijo.

    ResponderExcluir
  7. Alguns sumiram sem querer. Não sei onde estão, dá saudade de guardá-los. Adorei a forma como escreves. Um beijo!

    ResponderExcluir