domingo, 13 de maio de 2012

Jeito ultrapassado de amar

Considero-me uma pessoa romântica, no sentido mais extremo da palavra. Cresci assistindo Disney e novelas globais do Jorge Fernando, me habituando a enxergar o amor-romântico como algo surreal, do qual todos têm direito e sem o qual não se pode ser feliz.

A Bela Adormecida: "O sonho tão lindo..." do qual minhas desilusões amorosas são consequentes.

Prontamente, a vida tratou de me mostrar que fábulas da Disney são inaplicáveis a nossa realidade, o amor romântico não é pra todo mundo, e a felicidade, felizmente, é independente de qualquer jura de amor eterno. Posteriormente, meu pessimismo chegou a cogitar que esse tal “amor-romântico” é uma criação midiática, ou talvez, amar não seja para os românticos!

Felizmente, essa crônica do Arnaldo Jabor e opiniões compartilhadas na van me levaram a uma análise mais profunda do assunto, concluindo que o negócio tá difícil pra todo mundo. Se não, o que explica a existência de quadros como "Rola ou não Rola" e agências de namoro? Veja bem, AGÊNCIAS de namoro.

Você coloca na mão de outras pessoas a responsabilidade de achar alguém pra compartilhar um final feliz. Não critico, até compreendo, e quem saberá se no futuro não passarei pela porta de uma. Não é fácil assumir que a solidão incomoda, mas viver sozinho é bem mais difícil.

Somos uma geração liberal, bem menos preconceituosa, e por ventura, julgamos ultrapassados conceitos que poderiam tornar nossas relações mais saudáveis, mais felizes, mais humanas, mais... Românticas. Por quê? Pelo simples fato de tais "clichês" fugirem desse liberalismo que nos caracteriza.

Vá entender esse jeito moderninho de amar, incentivando todas as formas de amor e contraditoriamente menosprezando as tão cafonas, e necessárias, demonstrações amorosas. Ser blasé com quem se ama é o novo underground.

Summer Finn, a rainha do blasé

Nunca me senti tão conservadora em relação a um conceito atual. Quero de volta as mãos dadas, os cartões musicais e bexigas em formato de coração! Sou a favor de conversas no portão, de nomes em árvores e de cartas românticas! Amor que se vê pelos olhos, e não por fotos no facebook e smss no meio da noite! Amor que se conquista!

Porque pegação pode ser divertido pra um fim de semana, ou dois, mas nada me tira da cabeça que no fundo buscamos por alguém que fique pro café da manhã.

Ashton e Natalie sendo lindos em Sexo sem Compromisso

13 comentários:

  1. OOi^^
    Que legal seu blog, muito criativo!
    Adorei as postagens, sem falar desse design, que é um luxoo :3
    Você aceitaria visitar meu blog? Se gostar me ajuda a chegar a meta de 400 seguidores?
    Obrigada pela coompreenção!
    Beijos!

    http://imastoryne.blogspot.com

    ResponderExcluir
  2. Eu conheci meu namorado na internet (bem moderno isso), mas nos vemos toda vez por mês, e quando nos vemos temos esse namoro bem antigo que eu acho lindo como um lugar secreto, cartões e cartinhas, presentes e noites varadas andando por praças e ruas; eu também sou romantica, acredito no amor de todas as formas possiveis, porém em minha situação (namoro a distancia) sms e facebook é mais uma necessidade do que uma opção

    ResponderExcluir
  3. Bah, esse texto contém muitas verdades!
    Eu nunca fui romântica. Nunca. Já tentei ser, e, apesar de adorar comédias românticas, nunca consegui me ver em uma. Aliás, só consigo me enquadrar com a Summer (500 days of Summer) porque ela é tão avessa a isso quanto eu.
    Mas olha, todo mundo quer mesmo é alguém pra dormir juntinho e pra tomar chocolate quente assistindo a um filme. É a verdade.
    Beijo!

    Wink

    ResponderExcluir
  4. Acho que nós só encontramos esse amor-romântico, do tipo dar as mãos e ficar olhando nos olhos, quando estamos completamente apáticas. Tu lembra Bia, de tudo o que sofri por causa do galinha máximo de Cambuí? Eu dormia chorando e acordava chorando. Vou dizer que a minha maior inspiração para sair da fossa, foi a Summer. Ela me ajudou a não me importar, a não ligar e foi exatamente nesse contexto da minha vida que encontrei meu namorado. Não vou dizer que nós dois vamos ficar juntos para sempre, que nossa história vai ser um conto de fadas. Porque não é e nunca foi. A gente tem que viver um dia de cada vez, evitar promessas que não podem ser cumpridas e principalmente ter uma amizade maior do que tudo.
    Que lindo transformei os comentários em terapia. Querida, dá um beijão na Tia Milva por mim de Feliz Dia Das Mães, mesmo já tendo passado um dia.

    ResponderExcluir
  5. Eu já me acostumei a me decepcionar. Digo que não acredito mais nesse "Amor Romântico", mas no fundo sempre existe uma pontinha de esperança que me faz tentar uma vez mais.

    Hoje em dia é tão difícil vê-lo, que por vezes, acho que já não existe mais, ou pelo menos, não para mim.

    É estranho ouvir: Fiquei com 3 ontem, beijei 5...Onde isso vai parar?

    Acho que nasci na época errada...

    Adorei teu blog, achei bacana mesmo. Estou te seguindo aqui, e se permitir, vou te colocar na minha lista de favoritos do blog.

    Um beijo, Misunderstood.

    ResponderExcluir
  6. achei que só eu fosse "underground" por pensar diferente dos outros. mas, é bem por aí, Bia. o amor é bem distinto desse que as pessoas pintam por aí. eu não quero esse amor falseado.

    p.s.: por incrível que pareça assisti esse último filme citado nessa semana. Ashton sendo lindinho em filme romântico,não resisto.

    ResponderExcluir
  7. Românticos são poucos, mas quando são, são desvairados. Já dizia a música, né? rs Se gostamos, cuidamos, claro. Então apaixonar todos os dias é o mais importante. Uma espécie de cultivar. Gostar de tudo que envolve estar apaixonado. Uma pessoa ao lado pode ser a coisa melhor do mundo, desde que a faça feliz, claro!

    Querida, fiquei muito feliz por estar me sentindo próxima de você. E saber que você é de Minas, melhor ainda! rs E assim como você, não é diferente... Adoro encontrar pessoas do nosso mesmo estado pela blogosfera. Eu sou do Sudeste, Alfenas. (Perto de Poços, por aqui) E você? :)

    ResponderExcluir
  8. Já sou complexada por natureza e por qualquer coisa, quando se trata desse assunto, acabou.
    Acho que um dos meus maiores problemas com relação a isso, é ler livros o suficiente pra querer um amor espelhado naqueles que eu vivi lendo, sabe? E isso contrasta DEMAIS com a minha realidade. Demais pra eu aceitar. Sempre fico pensando que ainda é possível, que um dia vou encontrar alguém que fique pra todos os cafés, que fique até quando não estiver com sede, fome ou saco. Que fique. Porque não consegue ir embora. Pelo menos não definitivamente.
    E isso é uma miséria, viu? Sem falar que uma parte de mim é super desconfiada, uma parte de mim fica trollando mentalmente qualquer protótipo de relação que eu possa vir a ter, enquanto a outra fica nas nuvens, é uma confusão interna que só vendo. Mas no fundo mesmo, eu ainda acredito.

    ResponderExcluir
  9. "Estamos é com carência de passear de mãos dadas, dar e receber carinho sem necessariamente ter que depois mostrar performances dignas de um atleta olímpico, fazer um jantar pra quem você gosta e depois saber que vão "apenas" dormir abraçados, sabe, essas coisas simples que perdemos nessa marcha de uma evolução cega.

    Pode fazer tudo, desde que não interrompa a carreira, a produção. Tornamos-nos máquinas e agora estamos desesperados por não saber como voltar a "sentir", só isso, algo tão simples que a cada dia fica tão distante de nós."

    Nossa, Arnaldo é Arnaldo.
    Semana passada aconteceu um episódio relacionado a isso e eu meio que decidi que tinha que comentar sobre lá no blog, comecei a escrever, mas tá lá parado, não consegui terminar, agora fiquei com vontade. :D

    ResponderExcluir
  10. Não sou o que as pessoas costumam chamar de romântica, mas sou a favor do romantismo quando este é verdadeiro. Se ama, demonstre. Por mais que seja piegas para alguns, acho bonito um casal que anda de mãos dadas, que surpreendem um ao outro com um detalhe bobo, que mandam cartas e que sonham em viver juntos pra sempre. Acho bonito e, de certa forma, é uma maneira de dizer verdadeiramente que ama.

    ResponderExcluir
  11. bem, eu já dei meu parecer sobre isso rs

    @littlepistols
    http://portifoliodasletras.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  12. Hello Alacazaan. Sou eu, Lilly do Purple Pineapple.
    Primeiro meu parecer sobre teu texto: concordo plenamente. Acho que quando uma pessoa chega ao ponto de procurar pelo amor, ele foge e se esconde como uma menininha indefesa. E aí, quando desistimos de procurar, ele chega todo cheio de graça para rir da nossa cara. É ou não é? Vivemos sendo pregados em peças e, ~~na minha humilde opinião~~ o tal do "vai dar namoro" é uma grande mentira. Nunca dará certo - ou dará, em raríssimas objeções.

    Purple Pineapple foi desativado :/ por isso venho por meio deste restabelecer contato. O Hey, Independência! é agora meu blog e espero que curta =)) Sugiro também a parceria de antes, mas fica ao seu critério! Obrigada pela atenção e, ok, devo admitir que continuo adorando seu blog.

    Lilly, from http://heyindependencia.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  13. Realmente, o romantismo vem morrendo a cada dia mais u_u , namoros sérios hoje em dia? há! ta quase tão extinto quanto homem hetero /fato! e o pior de tudo é que muitas vezes as mulheres facilitam, porque como foi dito em Qualquer Gato Vira-Lata: "Pra que a pessoa vai querer comprar uma vaca, se ela tem leite de graça?" pooooois é!
    Sinto falta das cartas escritas a mão, dos 'eu te amo' sinceros, do romantismo que um beijo representava. Realmente, os príncipes da Disney nos deixam voando, mas aí quando voltamos à realidade a queda é brusca u_u (me estranhei, até que eu fui poética né? *.* auhsudihaiusasd).

    Beijinhos e um ótimo fim de semana! :*
    http://www.oblogdasgarotasinteligentes.blogspot.com/

    ResponderExcluir